Arquivo da tag: telescópio

Descobrindo o Universo com o Telescópio há 400 anos

Luneta ou Telescópio de Galileu
Luneta ou Telescópio de Galileu

Comemoramos quatro séculos de um instrumento: O telescópio.

Hans Lippershey, um fabricante de lentes dos países baixos (hoje Holanda) entrou com pedido de patente em 1608 do primeiro instrumento para a observação de objetos à distância. Tinha fins militares, mas não foi aceita pois havia mais gente que dizia saber fazer o instrumento ainda antes. Controvérsias à parte, em 1609 Galileu Galilei, apresentou várias versões do aparelho feitas por ele mesmo a partir de experimentações e polimento de vidro. O telescópio de Galileu também é conhecido por luneta.

Galileu logo apontou o telescópio para o céu. Foi o início de uma descoberta sem limites. Quando vemos imagens modernas de astronomia, talvez não percebamos as dificuldades inerentes à observação.

Tive o privilégio de visitar o Instituto e Museu de História da Ciência (IMSS) em Florença e apreciar uma exposição especial aos 400 anos de astronomia de Galieu. Veja o tema Telescópio no IMSS. No link, além das fotos, há vídeos documentários com os respectivos textos do(a) locutor(a) em inglês bem pausado.

Telescópio em exposição em Florença
Telescópio em exposição em Florença

Por conta desta data redonda, 400 anos, a UNESCO declarou 2009 como o Ano Internacional da Astronomia.

2009. Ano Internacional da Astronomia
2009. Ano Internacional da Astronomia

Obviamente os telescópios evoluiram muito nestes quatro séculos. Hoje vemos imagens nítidas que ficamos sem fôlego e sequer lembramos as distâncias envolvidas.

Foto de uma nébula
O restante de uma supernova na Grande Nuvem de Magalhães. P. Michaud, S. Fisher and R. Carrasco from Gemini and T. Rector from the Univ. of Alaska at Anchorage/Gemini Observatory

Fiquei sabendo que Torricelli tinha uma incrível técnica para fazer lentes e telescópios. Não por acaso foi indicado para suceder Galileu em Florença. O problema era que Torricelli não revelava pra ninguém seus segredos e morreu jovem. Levaram anos para chegar à perfeição que ele atingia. Houve até um concurso mundial para ver qual telescópio era melhor. Uma pena!

Hoje, quero crer, todos querem mostrar o que sabem e o que observam. Todos ganhamos com isto.

Aproveite as noites e descubra o Universo.

Anúncios

Not so humble Hubble. Happy birthday!

Há 17 anos o telescópio espacial Hubble foi colocado em órbitatelescopio hubble. O satélite tem o nome do astrônomo Hubble que em 1917 defendeu sua tese de doutorado e deu início, depois da interrupção da primeira guerra mundial, a observações fundamentais para a astronomia e cosmologia modernas. Ele foi ousado. O Marcelo Gleiser resume bem a atitude do Edwin Hubble. Veja o livro A dança do Universo páginas 338-339. E quem vê as medidas do jovem astrônomo e a conclusão que ele chegou pode se espantar. desenho do HubbleE ele acertou. Por sorte ou “intuição”, as medidas mais precisas confirmaram a lei de Hubble em escalas cosmológicas que se traduz na observação de que o Universo está em expansão.

O projeto de construção e o lançamento do satélite com o telescópio também foram muito ousados. Os dados enviados pelo Hubble são fontes de teses e artigos de profissionais e admiração do público leigo. Várias vezes o satélite correu o risco de ser abandonado por falta de manutenção. O argumento razoável mas discutível é que a manutenção poderia ser mais cara que a construção e o lançamento de outro satélite. De um jeito ou de outro ele continua em sua órbita a 570 km de altura. Para colocar em perspectiva lembre-se que um avião internacional voa a 10 km de altitude e o raio da Terra tem 6400 km, aproximadamente. Isto é, a altitude do satélite é inferior a 10% do raio da Terra. E é rápido. Ele dá uma volta completa durante um jogo de futebol com acréscimos, 96 minutos.Hubble acima da America do Sul Em uma noite sem nuvens nem muita poluição luminosa pode-se ver um ponto brilhante (comparável a Júpiter em termos de brilho) cortando os céus. Tem um site que mostra onde alguns satélites estão agora, dentre eles, o Hubble Space Telescope (HST).

A imagem ao lado mostra o traçado, o satélite e a casinha (fora de escala obviamente) onde estou com a imagem de satélite da América do Sul ao fundo.

Para comemorar os 17 anos de glória o Hubble Heritage Website liberou uma montagem imagens da Nebulosa Carina. As imagens podem ter tantos detalhes que o arquivo chega e meio gigabyte. Eu peguei uma imagem com alta resolução (200 MB), fiz o recorte para caber aqui e ofereço como tributo ao astrônomo e ao satélite. Estas imagens colocaram vários dados novos para os astrônomos entenderem que é um local de nascimento e morte de estrelas. Tem muita física e arte nesta figura. Deleite-se.Nebula Carina