Arquivo da tag: Ensino

ENEM: erros e acertos

O exame nacional de ensino médio (ENEM) teve mais um deslize em 2010. Não bastassem as criticas ideológicas, pedagógicas e politicas, o segundo ano de aplicação do ENEM teve problemas de paginação. A gráfica responsável pelo erro afirmou que apenas 21 mil cadernos amarelos tiveram este problema e explicou, não justificou, que o sigilo exigido dificultou a revisão dos cadernos impressos. Sim, 21 mil é muita gente, mas é pouco em relação a 3,3 milhões.

O caso deve ser investigado, mas o presidente do INEP e o minstro da Educação afirmaram que vão fazer de tudo para não prejudicar os alunos.

No entanto, alguns advogados e pelo menos uma juíza federal querem prejudicar a TODOS os alunos que fizeram a prova: eles pedem cancelamento do exame e usam um argumento abstrato de isonomia para justificarem a ação. Esquecem no entanto outros princípios básicos de justiça: Um erro não justifica outros; O justo não deve pagar pelo pecador.

Alem do mais quem quer a anulação do ENEM não entendeu o formato deste exame, que tem um procedimento estatístico de correção de dificuldades dos itens daquela prova e com isto, as notas relativas das provas de 2010 poderão ser comparadas com outras provas futuras. A nota de um aluno é, em certo sentido, e com uma margem de erro, independe de qual prova o aluno fez. O ENEM usa a metodologia da TRI, teoria de resposta ao item, que se aplica muito bem a provas de múltiplas escolhas com vários itens e com muitos candidatos fazendo cada prova.

Desta forma, é perfeitamente razoável e muito mais justo refazer as provas daqueles que se sentiram prejudicados. O resultado do ENEM é relativo, e assim será dentro de cada prova. Aliás, o ENEM poderia acontecer a cada bimestre, por exemplo. Os alunos poderiam fazer um ENEM e depois fazer outro quando se sentirem mais bem preparados. A nota do aluno vai indicar quanto ele sabe em relação aos outros alunos que fizeram a mesma prova. Considerando uma amostragem razoável e representativa de alunos candidatos em provas distintas, podemos considerar que a nota 657 de uma prova representa essencialmente a mesma coisa que a nota 657 de outra prova.

Estas explicações todas não são suficientes para acalmar um estudante. Temos que lamentar, mas o pior dos mundos seria penalizar 3,3 milhões de alunos por causa de um erro de paginação. A gráfica responsável pode ter comemorado quando ganhou a licitação pública de R$ 65 milhões, mas agora deve estar fazendo as contas para não falir depois disto.

Nos primeiros dias após estes incidentes, a justiça, defensoria pública e a OAB erraram mais do que o INEP. Considero que há condições de acertos ainda para todos. O prego do erro foi cravado. Ele pode ser retirado, mas vai deixar a sua marca. É a vida, cheia de erros e acertos.

UPDATE (16/11/2010): O ministro da Educação usou um argumento interessante para o não cancelamento do ENEM 2010: “.. as 14  edições do ENEM … tiveram algum problema técnico … com uma solução cabível  que não o cancelamento da prova”. O corolário desta afirmação é que, no caso de cancelar o ENEM, a edição substituta vai ter algum erro também, e assim ad infinitum.

Anúncios

O desafio de extrair petróleo do pré sal

Este ano, o Museu Exploratório de Ciências desafia você e sua equipe para projetar, construir e operar um equipamento capaz de extrair petróleo das recém-descobertas camadas de pré-sal!

A complexidade da operação para encontrar e extrair a enorme riqueza mineral do fundo do mar é comparada por alguns com a exploração do espaço. “Com a diferença de que, para chegar à Lua, o homem precisou vencer apenas uma atmosfera e, para atingir o pré-sal, é preciso vencer 100 [atmosferas]”, disse, sorrindo, Celso Morooka , especialista em Engenharia de Materiais e professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Ainda existem desafios técnicos de extrema complexidade para serem resolvidos antes de ser possível começar a exploração comercial do petróleo do pré-sal brasileiro. Um dos mais importantes diz respeito à composição geológica dos terrenos que serão perfurados. Além de vencer uma lâmina d’água de 2.000 metros de profundidade, é preciso ultrapassar uma camada de 2 quilômetros de rochas e terra e depois pelo menos outros 2 quilômetros de sal. Em tão alta profundidade, a pressão é muito alta e a camada de sal tem um comportamento incomum.

Vejam detalhes de participação de sua escola nas páginas do Museu Exploratório de Ciências.

Boas Notas no ENEM: Um ciclo virtuoso.

O Exame Nacional do Ensino Médio mostra alguns padrões interessantes nas boas escolas. A Isto é explica superficialmente O que essas ESCOLAS têm de mais? Em 2007 a melhor pontuação do Brasil foi do Colégio de São Bento, no Rio de Janeiro com 82,96 pontos sendo 51,28 a média nacional.

Os valores médios e os extremos dão informações importantes mas aprendemos um pouco mais quando conhecemos o quanto as notas se desviam desta média. Para uma amostragem local (Campinas) calculei o a média (55,08) e o desvio padrão (9,78). Veja a tabela on-line. Assim, do meu ponto de vista, as escolas de Campinas que conseguiram notas acima de 65.05 (média mais o desvio) estão de parabéns. São elas, em ordem crescente de notas:

JAIME KRATZ INSTITUTO EDUCACIONAL (65,09)
POLICIA MILITAR DE CAMPINAS COLEGIO DA
ADVENTISTA DE CAMPINAS COLEGIO
SAO JOSE ESCOLA SALESIANA
NOSSA SRA.AUXILIADORA COLEGIO SALESIANO
PIO XII COLEGIO DE APLICACAO
APICE COLEGIO
FRANCISCANO AVE MARIA COLEGIO
JULIO CHEVALIER INSTITUTO
OBJETIVO DE CAMPINAS COLEGIO
PROGRESSO CAMPINEIRO COLEGIO
BENTO QUIRINO ETE
NOTRE DAME DE CAMPINAS COLEGIO
ANGLO/CAMPINAS – UNID.GALLERIA COLEGIO
ANGLO CAMPINAS UNIDADE CASTELO COLEGIO
RIO BRANCO COLEGIO
SAN CONRADO COLEGIO
INTEGRAL COLEGIO ESCOLA DE EDUC.BASICA
ANGLO-CAMPINAS UNIDADE TAQUARAL COLEGIO
INTEGRAL COLEGIO – EED BASICA ALPHAVILLE
INTEGRAL COLEGIO DE EDUC.BASICA
ANTONIO PRADO CONSELHEIRO ETE
COMUNITARIA DE CAMPINAS ESCOLA
EDUCAP COLEGIO
OBJETIVO COLEGIO DE CAMPINAS UNIDADE II
DOM BARRETO COLEGIO
IMACULADA INSTITUTO EDUCACIONAL (74,25)
ESCOLA PREPARATORIA DE CADETES DO EXERCITO (74,45)
CAMPINAS COLEGIO TECNICO DE – UNICAMP (74,83) << Nota mais alta

Gabriel no Teclado
Gabriel brinca no computador

As 3 melhores escolas de Campinas, COTUCA, Escola de Cadetes e Imaculada são respectivamente, pública estadual, pública federal e particular. Desta lista das boas escolas de Campinas todas as escolas públicas têm viés técnico, fazem seleção de alunos e as vagas para professores são concorridas. Com bons alunos e bons professores, o ciclo virtuoso se estabelece. Que método de ensino e que orientação pedagógica estas escolas utilizam? Na média, pouca diferença faz! Poucas escolas usam informática ou laboratórios de ciências.

Ah, sim. As melhores escolas pagam mais aos seus professores. O salário inicial de um professor de ensino médio do estado de São Paulo, (vide tabela de 2006) com os benefícios de praxe é equivalente R$ 9,60/hora-aula. A escola com a melhor nota do Brasil paga R$ 45,00.

Consulte o INEP para ver o resultado de outros municípios.

Olimpíadas e Desafios na Escola

Quem não viu, pode ver e se emocionar. Quem viu, pode rever e se emocionar.

Ricardo Oliveira da Silva mora em Várzea Alegre, no Ceará. Ele é paraplégico, mas superou muitas dificuldades e conseguiu ser bicampeão na Olimpíada Nacional de Matemática. Vejam a matéria do Fantástico:

Sabemos que o sucesso em qualquer empreendimento difícil envolve, em média:

  • 70% de transpiração
  • 29% de apoio e formação
  • 1% de inspiração

As iniciativas do tipo Olimpíadas são estimulantes para o ambiente escolar.

Na mesma direção, temos o projeto do Grande Desafio:

O Grande Desafio é uma atividade da Oficina Desafio, formulada por uma equipe de cientistas e educadores da Unicamp através do Museu Exploratório de Ciências. Nosso objetivo é incentivar os participantes a colocarem em prática, de maneira lúdica, conhecimentos apreendidos na escola e no cotidiano, visando o crescimento pessoal e intelectual dos mesmos.

Os jovens desafiados devem trabalhar em equipes, por um período de meses, projetando, construindo e operando um equipamento que possa realizar o desfio proposto.

As soluções são abertas, portanto, as equipes podem, e devem, criar à vontade. Cada equipe deverá ter entre dois e seis participantes que podem ser estudantes de qualquer série, escola ou cidade do país.

Os vencedores do último Grande Desafio deram nome a um asteróide, agora chamado Ourinhos. Vejam matéria no portal da prefeitura da cidade.

vencedores do grande desafio 2007

O nosso sistema de ensino não é bom em média, mas há vários exemplos de superação e vitória tanto entre alunos quanto professores.