O trânsito de Mercúrio no dia 08 de Novembro de 2006

Mercúrio é um planeta mental (sic) e “mostra … como você pensa”. Esta frase está em um manual de astrologia. Como sempre, não dá qualquer informação relevante. No entanto, tenho que admitir, o movimento de Mercúrio nos faz pensar.le penseur

Como foi a primeira observação registrada em 07 de Novembro de 1631, há 375 anos? Foi o francês Gassendi quem publicou a observação. Observe que o inglês Newton tinha apenas 12 anos e portanto não havia teoria gravitacional. Ele fez a observação com base nas leis de Kepler e nas tabelas astronômicas da época.
Os trânsitos dos planetas como as eclipses não têm uma periodicidade simples. Mas por que os trânsitos de Mercúrio acontecem em Maio ou Novembro? Em 700 anos, de 1601 a 2300 haverá 94 trânsitos de Mercúrio. 67% deles em Novembro e o restante em Maio. Por que esta distribuição?
Este trânsito vai se repetir em 2016. JAMAIS OLHE PARA O SOL pois pode causar cegueira imediata ou a longo prazo. Haverá vários telescópios enviando as imagens pela internet. Procure. Veja a foto da NASA do último trânsito de Mercúrio em Maio de 2003. Com Plutão rebaixado, Mercúrio tem o título de menor planeta do nosso sistema Solar. Pela foto podemos perceber. Além de Mercúrio, Vênus também transita entre o Sol e a Terra. Mas é ainda mais raro. E obviamente a Lua, em eclipse solar consegue, às vezes, ocultar completamente o disco solar. Assim, o trânsito de Mercúrio é um fenômeno relativamente raro, e nos faz pensar …

entrada de mercurio
maximo transito de mercurio

Na região da UNICAMP, a previsão de entrada é 16h12m (horário de Brasília) e o por-de-sol vai quase coincidir com o “maior trânsito” que é o ponto em que Mercúrio vai transito visto pelo telescopio com filtroestar mais próximo do centro do disco do Sol às 19h41m. Veja as fotos da previsão da observação de entrada e de máximo trânsito. Obtidas com o software stellarium. As manchas ilustram as manchas solares. Para os moradores do hemisfério sul, Mercúrio vai entrar pela parte superior esquerda do Sol e vai descer. Nas fotos de baixa resolução acima, mal percebemos Mercúrio de tão pequeno em relação ao Sol. Com um telescópio espacial e filtro apropriado, poderíamos ver com mais nitidez como na foto ao lado.

Anúncios

O Zoológico das partículas elementares

A física moderna desenvolveu um modelo padrão para as interações ou forças mais fundamentais. Em última análise a matéria parece ser constituída por duas classes de partículas. Os quarks e os léptons. As interações entre as partículas pode ser quantizada por outras partículas, os bósons, por exemplo o fóton o representante quântico da força eletromgnética que carrega a energia da luz.

Recentemente o laboratório americano Fermilab publicou a experiência em que um quark b (bottom) foi observado em um dois grupos de partículas (não elementares) conhecidas por sigma-b bárion. Esta foi a primeira vez que o quark b foi detectado. A dificuldade da observação reside na sua grande massa de repouso (em relação ao outros quarks).

Um laboratório japonês detectou partículas com os quarks c e s que também são massivos. Assim temos o seguinte quadro. particle zoo O modelo padrão tem sido confirmado com precisão fenomenal. O quadro ainda não está completo, mas a quantidade de previsões teóricas confirmadas experimentalmente é fantástica. Veja por exemplo o texto Elementary Particles Today O livro de divulgação O DISCRETO CHARME DAS PARTÍCULAS ELEMENTARES é uma fonte interessante em português.

Plutão, Anão

A história da descoberta e agora o rebaixamento de plutão mostra um pouco como é a ciência. Comparando as duas fotos o astrônomo concluiu que havia um objeto por ali.descoberta de pluto Você consegue ver? Tudo borrado, nada como as fotos que a NASA libera ou que a National Geographic publica. Não é de se admirar que a estimativa do tamanho de Plutão tenha sido exagerada em 1930. Faltava definição. Não é o caso da foto de 2005 do Hubble onde não apenas Plutão é bem nítido como se vê suas 3 “Luas”.Pluto e suas luas A maior e mais próxima de Plutão, é a “Lua” chamada Caronte (ou Charon). Lua não é a palavra apropriada, satélite natural sim. Plutão e Caronte têm um acoplamento similar ao da Terra com a Lua. A nossa Lua sempre nos mostra a mesma face. Já Plutão e Caronte seriam como crianças de mãos dadas em giro. Um sempre olhando para o outro. Se você morasse em Plutão no lado que vê Caronte veria a “Lua” dia e noite. Em um dia completo de Plutão, os moradores deste lado viriam as 4 fases de Caronte. E deve ter um visual proporcionalmente, muito atraente, pois Caronte é a metade de Plutão e está relativamente próximo. Veja a ilustração de artista.Ilustra Pluto e suas luas Para saber mais leia a revista digital macroCOSMO.com

Recomendo também o livro “Breve história de quase tudo” onde, logo no início, Bil Bryson conta um pouco sobre a descoberta de Plutão no estilo agradável de jornalista.

Doze mil responderam por 124 milhões

É interessante ressaltar o resultado da pesquisa publicada pelo Datafolha na véspera do segundo turno da eleição. Ouvindo 12561 eleitores em 356 municípios previram Lula 61% x 39% Alckmin. Veja o resultado abaixo. Assim a amostragem de eleitores e municípios foi representativa. No Brasil há 124 milhões de eleitores e mais de 5 mil municípios.

PRESIDENTE
FotoLula
1. Lula (PT)
58.294.228 votos
60,83%
FotoGeraldo
2. Alckmin (PSDB)
37.543.024 votos
39,17%

Eclipse Solar anular: 2006, Setembro 22, Sexta-feira

A Sexta-feira, 22 de Setembro não será um dia ordinário. Teremos uma Eclipse Solar anular. No Brasil ela será parcial. Vai começar em torno das 6h40m da manhã e terá o máximo de 26% em torno das 7h40m. Não tente olhar diretamente para o Sol. Pode causar cegueira. Veja a animação da sombra de Lua sobre a Terra. O ponto vermelho mostra os locais onde a Eclipse será máxima. Mesmo nestes locais a Lua não cobre totalmente o Sol. Sobra um anel Solar. Por isto a e Eclipse é chamada de anular. A explicação para isto é que, a órbita da Lua em torno da Terra não é circular. Há dias de maior e outros de menor proximidade à Terra. No dia 22 de Setembro, ela estão um pouco mais distante (apogeu) e assim não é tão eficiente para cobrir completamente o Sol. Para ser preciso, a razão dos diâmetros aparentes da Lua e do Sol será de 0.92742. Não por acaso, neste dia a lua muda de fase para Nova. E por acaso é o último dia do nosso estranho inverno. Leia mais : Annular Eclipse of the Sun: 2006 September 22

Cobrimento de uma superfície

Como cobrir uma esfera com as seguintes exigências: Pouca distorção e pouca costura. A bola oficial para a copa de 2006 usa 14 painéis com contornos curvos. Veja a figura ao lado. Há 6 figuras tipo 8 coladas ou costuradas com outras 8 figuras complementares.

A bola oficial em outros campeonatos tem 32 painéis: 12 pentágonos (painéis pretos na ilustração), 20 hexágonos, costurados nas 90 arestas, e 60 nós (ou vértices). É um icosaedro truncado. No entanto, ambas as bolas continuam tendo nós onde 3 arestas terminam.
Tudo isto nos lembra dos sólidos de Platão que têm superfícies fechadas por polígonos regulares e congruentes e tais que o mesmo número de faces se encontram em cada vértice. O cubo é o exemplo mais conhecido (6 quadrados, 12 arestas e 8 vértices). Para a superfície do sólido se aproximar à de uma esfera, o ideal é ter painéis pequenos. Mas isto implica muitos painéis e costuras.
O novo modelo de bola da Adidas tem outras características de alta tecnologia. Mas em termos apenas de faces e vértices contamos 14 faces, 36 costuras e 24 nós. Um dos sólidos de Arquimedes de características parecidas, o octaedro truncado que tem 6 quadrados e 8 hexágonos. Veja figura verde.

Veja a história da bola de futebol (in English), os sólidos de Platão e de Arquimedes.

Somos os restos nucleares de uma estrela morta

A astrofísica e a cosmologia modernas dizem que os elementos químicos mais simples e mais leves, aqueles da parte superior da tabela periódica, Hidrogênio, um pouco de Hélio e quase nada de Lítio foram criados no Universo nos seus primórdios logo após o Big Bang. Os demais elementos são criados nos processos de combustão nuclear das estrelas. Quando o interior de uma estrela implode e depois explode, estes elementos químicos são liberados para a vizinhança do que sobrou da estrela. Aí, aparecem os planetas e eventualmente a vida! Mas havia detalhes das previsões teóricas que diferia de algumas observações. Agora, com os anti-neutrinos entrando na computação da formação dos elementos pesados, vários problemas foram resolvidos. Os cálculos envolvidos devem ser feitos com modelos complicados que envolvem convecção térmica, reações nucleares e física de partículas elementares.
Veja o resumo A New Way to Make Elements com a bela ilustração de uma supernova.

do Prof. Dr. Samuel Rocha de Oliveira

%d blogueiros gostam disto: