Nova gripe do Influenza A tipo H1N1

Nesta semana (27/Agosto/2009) o Brasil passa a ser o país com  o maior número absoluto de mortes pela nova gripe. A pandemia que começou na américa do norte atingiu a américa do sul com mais fatalidades por razões óbvias no atendimento médico.

O que mais impressiona nesta gripe aqui no Brasil é a sua taxa de mortalidade. Era de se esperar um número absoluto alto de pessoas com os sintomas da gripe no segundo país mais populoso das Américas, mas isto não justifica tantas mortes.

Podemos duvidar dos números levantados por falta de tradição em registros estatísticos. O diagnóstico também tem margem para erros pois é comum haver outras doenças nas vítimas, mas de acordo com o relatório do ministério da saúde:

Dentre os casos de SRAG (síndrome respiratória aguda grave) pelo novo vírus de influenza A(H1N1) que apresentam pelo menos um fator de risco, a letalidade foi de 16%, enquanto que para os casos de SRAG pelo novo vírus influenza A(H1N1) que não apresentam nenhum fator de risco a letalidade foi de 9,8%.

Veja o Informe Epidemiológico Influenza A (H1N1) • Ano 1 • nº 4 • agosto 2009 • pagina 5 Nesta semana os números de letalidades não são muito diferentes. Veja Informe Epidemiológico Influenza A (H1N1) • Ano 1 • nº 6 • agosto 2009 • pagina 6:

Entre os 5.206 casos de SRAG confirmados para Influenza A (H1N1), 557 (10,7%) evoluíram para óbito.

Moral da história: Esta nova gripe não é como a sazonal que acontece durante o inverno em qualquer lugar do mundo moderno e, até onde sabemos, não tem tanta letalidade assim.

Em outras palavras, de cada dez pessoas com a nova gripe suína, uma pode morrer. Isto é demais.

Se olharmos o número de mortes por população, podemos ter a impressão de que é um número baixo. Atualmente foram mais de 500 mortos para uma população de 190 milhões. Mas se a contaminação continuar e o vírus ou um mutante sobreviver até o próximo inverno, teremos mais mortes ainda.

Veja um mapa da pandemia.

As boas novas são que o número de pessoas com os sintomas da nova gripe está diminuindo. Isto pode ser conseqüência do aumento relativo das temperaturas.

Para todos os efeitos, a prevenção é o melhor remédio:

  • Evitar o contato direto com pessoas doentes.
  • Sempre lavar as mãos com água e sabão.
  • Manter a higiene diária (troca de roupas e banhos).
  • Procurar um médico assim que tiver um sintoma suspeito
  • Não confiar na auto-medicação.

Não devemos entrar em pânico nem cair na histeria, mas devemos observar com a metodologia científica o que está acontecendo.

5 opiniões sobre “Nova gripe do Influenza A tipo H1N1”

  1. Conspiração do silêncio: Vitamina D e gripe suína:

    É um fato médico bem conhecido, claro, que a gripe sempre fica pior durante o inverno. Isto é porque como se tem menos horas de exposição ao sol no inverno, as pessoas se tornam deficientes em vitamina D e sao mais suscetíveis a todos os tipo de infecçoes de gripe. Mas os governos mundiais, incluindo ai a OMS, nao divulga que falta de vitamina D deixa as pessoas mais propensas a ser infectadas com a gripe.

    PORQUE?

    IPara ler na íntegra e os trabalhos científicos embasando esta ideia:
    http://www.anovaordemmundial.com/2009/08/conspiracao-do-silencio-sobre-o-uso-da.html

    1. Associação gripe X inverno tem comprovação estatística, mas eu não posso concluir qual é o mecanismo desta correlação pois não sou pesquisador do assunto. Quanto ao estudo que você citou, vi que trata de uma vitamina D ativada, um hormônio esteróide e é muito recente (2006) para ser recomendada mundialmente. De qualquer forma, valeu pela dica. Eu só vou elaborar um pouco mais nos números e nas estatísticas que tenho acesso em novo post.

  2. Algo que vale a pena ressaltar é a hipocondria. Uma pessoa hipocôndrica acredita que está padecendo de alguma doença grave, isso faz o corpo se preparar para receber essa doença grave de braços abertos, ou seja, supondo que essa pessoa crê que tem ou vai pegar a gripe suína, seu corpo fica condicionado a crer que está contaminado ou que irá se contaminar, ainda por cima, que irá padecer (como a pessoa crê) e por isso, diminui os anticorpos do organismo.
    Com o sensasionalismo da midia e todo o pânico global, é possível que os brasileiros creem estar sujeitos a uma contaminaçao. Aqui no México eu nao vejo ninguem preocupado com a gripe como estao os brasileiros.
    Nao sei se me fiz claro.

    1. Oi Antônio. Concordo que a atitude psicológica é importante e a nossa mídia procura o sensacional, mas ainda assim este eventual pânico não explicam os números que o Ministério da Saúde está divulgando. Eu também achava que era exagero, mas já concordo que devemos tomar alguns cuidados para não correr riscos. O México está se preparando para a chegada do inverno e parece que vai contar com uma vacina até lá.

  3. OI ANTÔNIO! COMO VAI A FAMÍLIA? ESTAMOS COM SAUDADES! EU SEI QUE VOCÊ ESTÁ COM GRIPE SUÍNA, ESPERO QUE FIQUE BOM LOGO! BEIJO ME LIGA, PASSA E DEIXA RECADO. TE AMAMOS MUITO. TEMOS UMA PAIXÃO PLATÔNICA POR VOCÊ! BEIJO DOS SEUS GATINHOS! SAUDADES! BEIJO.

Os comentários estão desativados.