O que aconteceu antes do Big Bang?

Esta é uma pergunta frequente feita por quem começou a estudar ou ler sobre cosmologia.

As respostas curtas são: só Deus sabe; ninguém sabe.

Se soubéssemos da gravitação quântica, da massa de Higgs (LHC pode ajudar), da matéria e da massa escura saberíamos algo mais dos eventos logo após o que entendemos ter sido o Big Bang. Mas não antes, se é que haveria um antes.

A gente nunca está satisfeita com o que já sabemos! E isto é interessante nas ciências: a cada nova descoberta ou resposta, novas perguntas e inquietações.

Vamos por partes. Quem faz esta pergunta já tem noções da Cosmologia moderna, mas reproduzo o texto sintético e cuidadoso do Dr. Rogério Rosenfeld

Cosmologia é a Ciência que estuda a estrutura, evolução e composição do universo.

Reproduzo também duas ilustrações de uma publicação de The National Academic Press

que resumem, sem muitas palavras (in English) o modelo cosmológico padrão.

O que aconteceu antes do Big Bang só pode ser respondido se entendermos o que aconteceu no Big Bang. Há pesquisas, teóricas obviamente, que abordam algumas especulações, usando a metodologia científica, isto é, faz-se modelos matemáticos e explora-se o que seriam suas previsões de observações. Se elas forem compatíveis, o modelo pode ser aprimorado para fornecer novas previsões e assim por diante. Se as previsões forem incompatíveis com as observações, o modelo é descartado! Nesta linha há alguns físicos teóricos trabalhando no que é chamado de Cosmologia Quântica.

Eventualmente a compreensão do que é o Big Bang, vai tornar a pergunta “o que aconteceu antes”, sem sentido. Mas não custa perguntar por enquanto.

Dica da Plus Magazine

5 opiniões sobre “O que aconteceu antes do Big Bang?”

  1. mas se existiu o big beng !!!!!!! que dizem que foi a maior explosão e talz !!!!!!! mas e dai ? eu vou acabar com o planeta terra com uma guerra nuclear

  2. Nada. O Big Bang engendrou o tempo assim como o espaço. Não faz sentido perguntar o que havia antes do tempo, pois que, para que a noção de tempo exista, é preciso já que o tempo exista. É como se perguntasse: o que há para Norte do pólo Norte?
    Vejamos o problema como os físicos. Se passarmos ao contrário o filme da história do Universo, vemos todas as galáxias a aproximar-se cada vez mais. A última imagem mostra-nos um ponto que contém toda a massa do Universo: um ponto de densidade infinita. Os físicos chamam a isto uma singularidade. E ela chateia-os muito. Assim que se chega a uma singularidade, de facto, todas as teorias da física se contorcem; não sabemos mais o que se passa.
    A teoria física para descrever o Universo no seu conjunto é a teoria da relatividade geral de Albert Einstein. Nessa teoria, o tempo constitui uma quarta dimensão desempenhando um papel parecido ao das três dimensões do espaço: altura, largura, profundidade. Imagine que o espaço-tempo seja a superfície de um balão a inchar. É preciso imaginar que uma das dimensões do balão (a altura, por exemplo) representa o tempo. Para baixo é o passado, para o alto é o futuro. A singularidade inicial, é o pequeno nó, na base do balão, que o fecha. Pode ver-se, no desenho acima, que não há nada sob o nó: nada de espaço, nada de tempo…

    Evidentemente, é difícil de engolir esta. Mas a teoria da relatividade prevê que o Universo está verdadeiramente tufado de singularidades. Em geral, essas singularidades chamam-se buracos negros, um lugar onde a matéria está muito concentrada: o TEMPO muda aí de natureza. Quando uma estrela morre e se afunda sob o próprio peso, forma um quisto de matéria de tal forma comprimida que tudo o que lá cai não tem futuro, pelo menos para quem a vê de longe… Brrrrr! As equações dos astrónomos dizem que existe somente uma singularidade que possui as propriedades inversas, em que tudo o que dela sai não tem passado. É o Big Bang.

Os comentários estão desativados.