Fiscalização Eletrônica de Trânsito é por Radar?

Os mais apressadinhos e ou desavisados de vez em quando recebem uma multa por excesso de velocidade aferida por um “radar”. A confusão é total na taxonomia. O que o povo chama de móvel é nomeado estático pelo Detran, o popular radar é anunciado como eletrônico. O resultado final é o mesmo. A multa é exata, bem definida, mas a nomenclatura do trânsito é imprecisa.

Em Campinas, a EMDEC apresenta as vias com os aparelhos de medida. A rádio CBN também avisa os locais dos aparelhos móveis. Mas a lista mais detalhada está no site carrocampinas. Veja matéria interessante sobre educação no trânsito.

O site Carros na Web dá a lista e mapa dos “pardais” nas rodovias do Estado de São Paulo. Muito útil antes de uma viagem. Prevenir acidentes e multas é dever de todos!

As cidades têm abusado destes dispositivos. O Costa fez a rima:
“Campinas, terra do progresso, da ciência e do bem estar (??!!)
toda esquina tem buracos, gente pedindo grana e um radar”

É possível usar radar para medir velocidades. Radar significa Radio Detection And Ranging. Mas os vigias eletrônicos atuais usam campos magnéticos ou laser, raramente radio. Veja a explicação do site www.noticiasautomotivas.com.br. O site do DER-RJ este nao usa radar ilustra corretamente um dispositivo por campo magnético mas dá o nome errado e popular. Veja a figura ao lado.

Um dos problemas originais nos dispositivos por campo magnético foi a variação da temperatura no asfalto. Os engenheiros tiveram um bom trabalho até calibrar a sensibilidade na passagem de um metal (um veículo) pelos fios enterrados no pavimento.

O circuito é integrado a um processador que aciona uma câmara em caso de excessos. A foto entrega o “bandido”. Na realidade basta a placa do carro e há projetos para leitura computadorizada das placas, isto é, a câmara registra e o próprio processador consegue codificar a placa do automóvel que aciona o banco de dados e a multa segue, sem necessidade de um policial ou agente.

Os ganhos nas arrecadações municipais e na segurança de trânsito são inegáveis. A dor no bolso, mais do que concientização de trânsito, faz o pé do acelerador levantar. Funciona.

14 opiniões sobre “Fiscalização Eletrônica de Trânsito é por Radar?”

  1. Gostaria de saber se é necessário informar aos condutores por placas o local onde está sendo a medição por radar eletrônico?

    Achei a resolução 214 que fala sobre o assunto, mas nela falta o anexo III, uma tabela q seria importante.

    Vocês podem me ajudar?

    Obrigado!

  2. Oi Cristiano,

    Gostaria de ajudá-lo mas não é da minha competência. Do ponto de vista filosófico e ético acho que deve haver informações e a fiscalização eletrônica seria um meio para lembrar e educar os motoristas dos limites impostos por lei. Mas os interessados no recolhimento das multas (prefeituras e empresas fornecedoras dos serviços) pensam de outra maneira, infelizmente.

    Boa sorte e eu também gostaria de saber se há resoluções claras sobre a necessidade ou não de avisos.

    Samuel

    1. Segundo a Resolução 146/03 (RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003.):
      “Art. 2º. O instrumento ou equipamento medidor de velocidade de veículos deve observar os seguintes requisitos:
      III – ser verificado pelo INMETRO ou entidade por ele delegada, obrigatoriamente com periodicidade máxima de 12 (doze) meses e, eventualmente, conforme determina a legislação metrológica em vigência.”

      Ou seja, o radar deve ser aferido a cada 12 meses.

  3. Os equipamentos eletrônicos devem ser aferidos pelo INMETRO a cada 6 (seis) meses e além disso possuir o laudo de homologação fornecido pela engenharia de táfego.

    As velocidades para as vias são definidas pelo artigo 61 do Código de Trânsito Brasileiro e na maior parte dos casos são estipuladas velocidades limites sem respeitar essas definições legais.

    Querendo mais informações ou modelos de defesa de multas, acesse http://www.rcmultas.com.br

    Mais de 30.000 acessos mês. A primeira em multas assessoria do Google.

    Sucesso a todos

    RC MULTAS BRASIL

  4. Gostaria de saber a autenticidade das calibragem ou sincronismos, que a lei, e se existe devem ser verificados, para que eu possa recorrer de algumas multas…

    Obrigado

  5. bom quero saber a historia dos radares no brasil ou sensores eletrônicos e desde quando surgiram

    Radares propriamente ditos devem ter chegado ao Brasil no início do século XX. Não conheço detalhes. E os sensores eletrônicos são tão diversos!

  6. Eu queria saber sobre o radar fixo: a distância entre 1 sensor e outro?, O tempo que demora do sensor 1 até o sensor 2 (de um motorista numa velocidade permitida)?, E como é calculado, para multar um motorista?

  7. O processo de aferição leva meia hora. A cada 6 meses deve ser reaferido.
    A distância entre sensores é variável de acordo com cada fabricante, e a velocidade é calculada de acordo com a equação básica da cinemática: V = S/T
    A autenticidade é feita através da aferição. Se o equipamento está aferido não tem como recorrer dizendo que não é seu carro ou a velocidade foi calculada errada.

    1. Qual o dispositivo legal (lei, Resolução, Portaria etc…)que determina reaferição pelo INMETRO a cada 6 meses, considerando que a Resolução 146/03-CONTRAN fala em 12 meses.?

Os comentários estão desativados.